O Haras Recanto Feliz, na pessoa de seus idealizadores, promove um curso de casqueamento equino nos dias 2,3,9 e 10 de novembro de 2013. 


O cavalo é um animal presente na vida do homem desde os primórdios, sendo ora utilizado com instrumento de guerra, ora como força de trabalho na agricultura e também como atividades de transportes de pessoas e coisas, bem como para eventos lúdicos.

Quando utilizados em atividades esportivas, os cavalos assumem a postura de atleta, necessitando cuidados e treinamentos especiais, como alimentação e condicionamento físico para atender a cada modalidade esportiva.

Dentre os vários cuidados com os cavalos, sejam eles atletas ou não, destaca-se o cuidado com os membros dos animais, principalmente os cascos, que quando mal feito pode comprometer os tendões e as articulações e consequentemente a formação óssea dos cavalos.

São os cascos dos cavalos que entram em contato com o solo, havendo um desgaste em decorrência disso, e por ser formado de tecido queratinoso vão se regenerando ao logo da vida do equino.

O aparamento correto dos cascos dos cavalos e a devida correção dos aprumos funciona igualmente ao alinhamento e balanceamento para os automóveis. Por outro lado, deixar de fazer tais serviços ou fazer de forma incorreta, acarreta severos danos aos membros dos cavalos, inclusive compromete o seu desenvolvimento como atleta.

O Haras Recanto Feliz, como sendo um haras que utiliza os cavalos como atleta, resolveu promover o curso de casqueamento e correção de prumos de equinos como forma de oportunizar aos proprietários e profissionais que trabalham com cavalo um conhecimento mais aprofundado sobre o tema.

Para ministrar o curso que acontece nas instalações do Haras Recanto Feliz, conta-se com quem bem entende do assunto, o Mestre em ferrageamento, podologia, ortopedia e correções de aprumos equinos, Wanderley Veloz, que nesta na ocasião veio por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Distrito Federal – SENAR/DF.

O curso foi dividido em duas partes, teoria e prática, sendo apresentado na primeira o conteúdo de: meios de contenção; verificação do ângulo da escápula; anatomia dos cascos; higiene dos cascos; aprumos; diferença entre os cascos anteriores e posteriores; verificação dos ângulos dos cascos; técnicas do casqueamento; defeitos de proporção e formas; defeitos de direção por alteração dos aprumos; defeitos longitudinais; defeitos de qualidade do casco; balanceamento e linha dos anteriores; verificação da linha de pinça dos posteriores; casqueamento; exame do animal após o casqueamento.

Na parte prática os alunos realizarão o casqueameto dos animais com a supervisão do mestre, que oportuniza todos a realizarem cada um dos procedimentos ensinados.

A Turma é formada por doze alunos que já receberam o conteúdo teórico e prático do curso, restando realizar apenas os exames de conhecimento (prova), onde os aprovados irão receber uma certificação expedida pelo SENAR.

O curso está sendo bem proveitoso, pois os alunos demonstram ter assimilado o conhecimento apresentado pelo mestre que deixa para reflexão as palavras a baixo:

Se todos os profissionais da área tivessem este conhecimento e                   considerassem este pressuposto, seria evitado o emprego de ferraduras corretivas ou ortopédica para reparar algumas lesões.

O casqueador deve ter uma base teórica complementada por uma prática racional e precisa. Com esse embasamento, em poucos anos poderíamos formar grupos de pessoas que exerceriam esta profissão com critérios e sabedorias, e, ao mesmo tempo, o resultado seria a elevação socioeconômica do profissional em casqueamento de equino.

Os pés constituem nos cavalos a estrutura anatômica e funcional mais complexa do seu aparelho locomotor. Pode ser considerado o centro de sustentação do corpo, durante o repouso e a base de locomoção, por meio da propulsão dos membros posteriores e da recepção nos membros anteriores.

Desta forma, os pés recebem toda a força resultante do trabalho muscular e tendíneo sob a forma de pressão, tração e torção. O pé é constituído de ossos, ligamentos, tendões, vasos sanguíneos e linfáticos, nervos e cascos (unhas).

Os cascos formam a parte inferior dos membros e são formados por um revestimento córneo para proteger os ossos.

A arte de casquemento de equinos ocupa um lugar preponderante dentro da temática de postura e equilíbrio do animal, por este motivo é que se diz: “sem cascos não existe cavalo”. Wanderley Veloz.

Compartilhe
Categorias: Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *